Tiro de Guerra Medianeira ? Braço Forte, Mão Amiga

Revista Guia
19 de Abril, 2017 1.643

Publicado em: 19/04/2017 às 11:19

No dia 19 de abril comemora-se o Dia do Exército Brasileiro, em Medianeira a instituição é representada pelo Tiro de Guerra, atualmente, coordenado pelo Sub Tenente Célio Ivaldo Rucinski. 

O Tiro de Guerra foi criado no município e passou a funcionar no ano de 1998. Nesses 19 anos, já formou cerca de 900 novos atiradores. 

?O Tiro de Guerra tem uma importância muito grande para a cidade, porque antes de ser instalado aqui os jovens tinham que prestar serviço militar em outras cidades (Foz do Iguaçu e Cascavel), o que se tornava um empecilho para que o jovem continuasse no seu trabalho, no seu estudo, próximo a família?, explica o Sub Tenente.

Através de um convenio firmado com o poder público e o Exercito Brasileiro foi instalado o Tiro de Guerra, e isso vem sendo renovado a cada cinco anos. 

O Sub Tenente também explicou sobre as funções da instituição dentro da sociedade. O principal objetivo e missão é formar o atirador combatente de defesa territorial: ?Ele passa por uma formação básica a nível militar e ele presta o apoio em caso de uma necessidade que a pátria precise, para a defesa do nosso território aqui, em Medianeira e nas imediações?.

O atirador também recebe instruções voltadas para a cidadania, o civismo, o patriotismo, sobre história militar e história do Brasil. É diferente da formação do soldado no Batalhão da Infantaria, por exemplo. 

Eles também prestam ações sociais para a cidade: ?Tanto é que a nova turma já está iniciando uma campanha de arrecadação de donativos para o Lar dos Idosos, além dessa virão outras campanhas?, destaca o instrutor.

Também prestam apoio para a Secretaria de Esporte, para entidade que dependem do Tiro de Guerra para realizar um evento esportivo, por exemplo, uma corrida de rua, eles ajudam no balizamento e direcionamento dos atletas: ?Já participamos  apoiando campeonato de tiro no Country Clube, fizemos também apoio para Foz do Iguaçu em 2015 quando houve um temporal que deixou a cidade em estado de calamidade pública?.

A importância do jovem aqui ela é primordial para atender o município nessas necessidades. Atuam na defesa civil, caso Medianeira precise o Tiro de Guerra está pronto para apoiar a população. 

O Sub Tenente também falou da importância do período no Exército para os jovens: ?Hoje em dia nossa sociedade, infelizmente, está muito desvirtuada de alguns valores. Na minha opinião, a instituição ainda mantém esses valores, que para nós são intrínsecos do Exército. Como a hierarquia, a disciplina, o amor a pátria, o amor a família, o amor a Deus sobre tudo?.

O Tiro de Guerra muitas vezes tenta resgatar esses valores, e um detalhe sobre a cidade é reconhecido por Rucinski: ?Parabenizo as famílias de Medianeira, por ser uma cidade que ainda mantém muitos esses valores, familiares, tradicionais, que regem uma boa sociedade?.

A instituição busca resgatar a importância do amor a pátria, a importância do culto aos símbolos nacionais, como a bandeira, o hino nacional, entre outros. Dessa forma um amor a pátria pode ser despertado, o que é primordial para que um cidadão defenda o seu país. 
O juramento prestado a bandeira pelos integrantes da instituição é de defende-la, as vezes até com o sacrifício da própria vida, isso é o ensinamento máximo do Exército Brasileiro. 

?Isso para o garoto que saiu da adolescência e está entrando na idade adulta, isso é muito importante, pois ele começa a enraizar esses valores, e la na frente eles levam isso para a vida, esses ensinamentos. 

Reconhecendo a importância do Exército na sociedade como um formador de jovens?, explica o Sub Tenente.

A turma de atiradores de 2017 iniciou os trabalhos no dia 1 de março e está na fase das primeiras instruções. 

São 50 atiradores matriculados anualmente. Eles chegam ao Tiro de Guerra, todos os dias as 5hrs e recebem instruções até as 7hrs e a partir desse horário estão liberados para fazer suas atividades civis. Às vezes, nos finais de semanas há atividades mais prolongadas, como acampamentos, tiro, marchas, atividade que não conseguem serem realizadas nas instruções diárias por conta do tempo. 

Natural de Porto União, Santa Catarina, o Sub Tenente está em serviço pelo Exercito Brasileiro há 29 anos, começou como soldado, depois fez curso para cabo, depois concurso para escola de sargento. 

Em 2015, assumiu o Tiro de Guerra de Medianeira, e no final de 2017 entrega o cargo, em um agradecimento especial, falou sobre o período e sobre como foi exercer está função nos últimos anos: 

?Gostaria de agradecer a acolhida que eu e minha esposa tivemos aqui, e dizer que para mim foi uma experiência ímpar, era um sonho meu desde que iniciei em minha carreira como sargento, ser instrutor no Tiro de guerra. Me sinto realizado, principalmente, quando ao formar a turma vejo os atiradores emocionados, com saudades, querendo dar continuidade na instituição. Isso é gratificante?. 

Ele também agradeceu os pais e a compressão deles ao ?emprestar? de certa forma seus filhos nesse período de nove meses: ?Sou um segundo pai para eles, minha esposa diz que ganhei 150 filhos (3 turmas). Aqui criamos uma ligação, descobrimos suas vontades e desejos, conversando e partilhando suas vidas com a gente. É uma grande satisfação. 
Agradeço a Deus por me dar força e energia para realizar isso?. 

Revista Guia



Envie suas fotos ou notícias para o Guia! 045 8422 1348