Ranário: Criação e comércio de rãs em Medianeira

Revista Guia
14 de Fevereiro, 2017 2.885

Publicado em: 14/02/2017 às 10:36

Em uma propriedade localizada na área rural de Medianeira, mais exatamente na Linha Saltinho, Anselmo Boger nos recebeu em uma manhã úmida de sol. 

O intuito da visita era conhecer o seu ranário. Natural de Medianeira, a vida na agricultura para Anselmo iniciou na suinocultura. 

Logo que conclui o segundo grau em básico pecuária, ele foi para o sítio para pesquisar algo e iniciar sua vida. Seu interesse pelas rãs foi de imediato, fez alguns cursos em Curitiba, há trinta anos atrás.

Logo após esse período, ele estruturou um ranário e passou a comercializar para a cidade de Foz do Iguaçu que tinha uma demanda boa: “Mas naquela época não tinha ração, elas tinham que ser tratadas com alimentos bem difíceis e caros de conseguir. Depois de um tempo parei com a produção”. 

Há cinco anos atrás ele retomou sua criação de rãs, quando conheceu o trabalho realizado pelo Instituto Federal do Paraná, que tem pesquisas especificas na área: "Comprei alguns girinos, depois rãs transformadas, comprava mil e engordava. E nisso começou a aumentar a produção, comprava todos os anos e há três anos consegui que elas desovassem no açude". 

O instinto do animal não permite que ela desove no ranário, Anselmo então optou por soltar elas em sua propriedade para que conseguisse que a desova fosse feita ali, no açude da propriedade. A espécie que o produtor tem em sua propriedade é a Rã Touro Gigante.

"Todos os anos eu solto algumas fêmeas, e elas vão se adaptando ao local e desovando. No ranário é difícil elas desovarem, em cinco anos consegui apenas uma vez", explica o produtor.

Ao total, o ranário do agricultor tem capacidade para 6 mil rãs. E todos os anos o número é alcançado. Não há um período certo para crescer, mas sim temperatura, quanto mais quente, mais acelerado é o seu crescimento. O aceleramento acontece entre 25 à 30 graus celsius. 

Quando é frio, a rã se esconde e congela o corpo, ficando paralisada nesse tempo, até mesmo sem comer. 
Anselmo vende 1kg a R$40,00. Apenas para conhecidos e apreciadores da carne, pois sua produção ainda é pequena e está em fase de melhoramento. 

"Muitas pessoas vêm visitar para saber como é. Alguns para ver o funcionamento e iniciar seus ranários, eu sempre recebo todo mundo. A pessoa que compra a carne de rã, geralmente, consumia com seus pais e avós, e tem aquilo como um costume. E quem experimenta pela primeira vez sempre volta para comprar mais. É uma carne muito saborosa", define o produtor. 

Cada quatro rãs é possível obter um quilo de carne. O jeito mais tradicional de consumo é a milanesa. Mais informações: 99155-1222, falar com Anselmo. 

Envie suas fotos ou notícias para o Guia! 045 8422 1348